27 de maio de 2014 - 10:00
43
Estilo

15 Blogueiras “plus size” estilosas! – parte 2

Ebaaaa! Voltei com a parte 2 do post sobre 15 blogueiras plus size estilosas. É tanta gente linda e legal que eu não poderia deixar de fazer uma segunda edição. Ainda mais porque os comentários que o primeiro post, de janeiro de 2013, recebeu foram incríveis. :)

Adoro colocar esse tipo de inspiração por aqui, principalmente porque não consigo colocar sempre garotas gordinhas no Como Usar. Infelizmente, sites como o Lookbook muitas vezes não representam a nossa realidade, o que me deixa bastante frustrada. Mas existem vários blogs maravilhosos de garotas plus size pipocando internet afora (e, gente, tô conhecendo tanto blog novo a cada dia que ainda dá pra fazer uma parte 3, hahahah). Espero que vocês gostem!

blogueiras-plus-size

Juntei todas elas para dizer uma coisa para as leitoras do blog: se joguem nos looks. Parem de achar que não podem usar determinada peça porque vocês não fazem parte do padrão. A vida é uma só, vocês só precisam agradar a si mesmas e ponto. Sei que pode parecer balela (“ah, é muito fácil falar”), mas não dá pra gente viver pensando no que os outros vão achar.

As pessoas sempre irão julgar e nunca estarão satisfeitas. Portanto, você jamais vai agradar completamente todo mundo. Desiste, fia. Você só será completamente feliz se esse sentimento de confiança vier de dentro para fora, e não o contrário. O céu é o limite, divirta-se. Não se leve tão a sério. Permita-se tentar, errar, acertar e se amar. :)

Clique na legenda “BLOG” pra conhecer mais do estilo de cada uma delas:

andigetdressed

Kellie Brown, EUA. BLOG.

Ela, 25, Alemanha. BLOG.

Débora Fernandes, Brasil. BLOG.

Alegra Schminke, 29, Alemanha. BLOG.

Clarice Freire, Brasil. BLOG.

Paula Bastos, 29, Brasil. BLOG.

Juliana Ricci, Brasil. BLOG.

Assa, Canadá. BLOG.

Eure Mia, 28, Alemanha. BLOG.

Jennifer, 25, EUA. BLOG.

Katharina, 26, Alemanha. BLOG.

Jessica Kane, 32, EUA. BLOG.

Charlotte, 23, Alemanha. BLOG.

Katrin, 23, Alemanha. BLOG.

Kimberlee Postell, EUA. BLOG.

→ Veja também: 15 Blogueiras “plus size” estilosas! – parte 1

Post Anterior
Super post sobre perfumes
Próximo Post
O que eles pensam sobre Gorro
...Comentarios...
43 Comentários

Para usar avatar, cadastre-se com seu email em gravatar.com
  1. Kah
    27 de maio de 2014 - 10:05

    Cara, achei a Eure Mia tão gata! Amei o cabelo. Super estilosa.

  2. Gabriela
    27 de maio de 2014 - 10:53

    AHHHHH que bacanaaa!!! Nunca tinha visto uma agora de vááááááriasss

  3. deborah
    27 de maio de 2014 - 11:00

    Acho que vou fazer uma tag de look do dia no meu blog pq não consigo me identificar nem com as meninas plus size nem com as magras :/

  4. Patrícia
    27 de maio de 2014 - 11:02
  5. Naelle - Once in Paris
    27 de maio de 2014 - 12:54

    nice selection! love their styles!

    greetings from Paris :)
    http://www.once-in-paris.com

  6. Cinthia
    27 de maio de 2014 - 13:06

    Sei que o que vou falar é MUITO polêmico, mas vamos lá..
    Eu fui gordinha a infância toda. Me zoavam muito na escola por isso e foi aquela história que todo mundo conhece.
    Cresci, casei e engravidei. Na gestação, devido ao meu peso, tive pré-eclampsia e quase morri (inclusive meu filho teve alguns problemas, mas hoje é saudável, graças a Deus!)
    Minha médica sempre falava que eu precisava emagrecer, e depois desse susto na gestação decidi emagrecer.
    Antes da gestação eu achava esse negocio de peso uma “escravidão do corpo” “esteriótipos da mídia” e tudo mais.
    Hoje, mais de 22 kg mais magra, durmo melhor, vivo melhor. Luto e ajudo muitos amigos e família a emagrecer e mudar o estilo de vida. Nada de febre fitness, apenas lutar pela vida com mais qualidade.
    Falem o que quiser, usem chavões que quiserem mas acho que independente de beleza, é importante sim estar dentro do peso. Não acho legal essa onda de “seja quem você é, ignore o que os outros falam” quando se trata de obesidade. Obesidade é doença e trás uma série de problemas para a saúde.

    • Clarice Freire
      27 de maio de 2014 - 14:14

      Cinthia em 27 de maio de 2014 às 13:06 disse:

      Sei que o que vou falar é MUITO polêmico, mas vamos lá..
      Eu fui gordinha a infância toda. Me zoavam muito na escola por isso e foi aquela história que todo mundo conhece.
      Cresci, casei e engravidei. Na gestação, devido ao meu peso, tive pré-eclampsia e quase morri (inclusive meu filho teve alguns problemas, mas hoje é saudável, graças a Deus!)
      Minha médica sempre falava que eu precisava emagrecer, e depois desse susto na gestação decidi emagrecer.
      Antes da gestação eu achava esse negocio de peso uma “escravidão do corpo” “esteriótipos da mídia” e tudo mais.
      Hoje, mais de 22 kg mais magra, durmo melhor, vivo melhor. Luto e ajudo muitos amigos e família a emagrecer e mudar o estilo de vida. Nada de febre fitness, apenas lutar pela vida com mais qualidade.
      Falem o que quiser, usem chavões que quiserem mas acho que independente de beleza, é importante sim estar dentro do peso. Não acho legal essa onda de “seja quem você é, ignore o que os outros falam” quando se trata de obesidade. Obesidade é doença e trás uma série de problemas para a saúde.

      Oi Cinthia, então, acho que você entendeu a mensagem de forma equivocada… Não é uma apologia à obesidade, ou a não ser saudável, muito pelo contrário: o que o movimento plus size tenta fazer é mostrar que é possível ser bonita em qualquer corpo, e que é possível ser linda e saudável sem parecer com as manequins de revista. Focado na auto-estima e não na auto-indulgência, sãocoisas bem diferentes. É um movimento de democratização da beleza, e se alguém tem algum problema de saúde, seja pelo peso ou não, tem mais é que se cuidar mesmo, sabe? São pontos diferentes, abordagens diferentes, é preciso ter cuidado pra não pensar que é a mesma coisa, tá? Um beijo!

    • Rita
      03 de junho de 2014 - 10:46

      Por que vir a um post desse com polêmica? Poxa, já somos julgadas e menosprezadas em tantos posts e mídias e ruas e consultórios e estatísticas e discursos e intimidades… Deixa esse espacinho aqui pra gente, fia, faz favor? E por “a gente”, não só gordas, mas todas aquelas que se amam, se aceitam, se celebram, se cuidam, florescem, transpiram amor, respeito, autoestima…

    • Márcia Carvalho de Souza
      20 de junho de 2014 - 12:46

      Estar acima do peso não significa obrigatoriamente estar ou ser doente. Tem muitas pessoas magérrimas que são doentes: colesterol alto, diabetes, coração. Então, ame-se como você é, e seja saudável, não importa se gorda ou magra!

  7. Paula Lomeu
    27 de maio de 2014 - 14:16

    AMEI!!!
    Faltou as meninas do blog Tamanho P *——*
    Amo o blog delas, já viraram amigas e são lindas demais!
    Fica a dica pro próximo post. hahaha
    Beijão, Lia.

    http://www.eusoufutiledai.com.br

  8. Ela
    27 de maio de 2014 - 16:11

    Dear Lia,

    thank you for featuring! Sadly, I can’t speak portugues and I can’t answer in your language. I hope, you will feel, how gratefull I am for your posting :) Thank you very, very much, from the bottom of my heart!

    Obrigado,
    Ela from conquore.com

    • Clarice Freire
      28 de maio de 2014 - 11:35

      Ela em 27 de maio de 2014 às 16:11 disse:

      Dear Lia,

      thank you for featuring! Sadly, I can’t speak portugues and I can’t answer in your language. I hope, you will feel, how gratefull I am for your posting :) Thank you very, very much, from the bottom of my heart!

      Obrigado,
      Ela from conquore.com

      Que linda! <3

  9. Nati Rios
    27 de maio de 2014 - 16:53

    Adorei!
    Acho que tipo fisico não define estilo =))

    Beijooos
    http://blogidfashion.wordpress.com/

  10. Anne
    27 de maio de 2014 - 17:03

    Amo essas ‘listas’ para conhecer blogueiras estilosas. Já estou fuçando nos blogs porque gostei de várias.

  11. Alinne Rosa
    27 de maio de 2014 - 19:11

    Um dia eu entro nessa lista! Kkkkk
    Mas é muito bom blogs como este abrindo espaço para as Plus size! Brasileiras muito bem representadas na lista! Parabéns meninas! Bjks

  12. Andressa
    28 de maio de 2014 - 00:24

    Adorei essa listinha,é muito legal descobrir novos blogs,e no meio de tantos a gente acaba ficando perdida e deixa de conhecer varios otimos.E otima a ideia de mostrar varias blogueiras fora dos padrões,q pode erguer a auto estima e inspirar varias mulheres.Gostei muito da Katharina,Jessica,Juliana,Debora e Ela,lindas e muito estilosas tbm

  13. Cinthia
    28 de maio de 2014 - 07:50

    Clarice Freire em 27 de maio de 2014 às 14:14 disse:

    Cinthia em 27 de maio de 2014 às 13:06 disse:

    Sei que o que vou falar é MUITO polêmico, mas vamos lá..
    Eu fui gordinha a infância toda. Me zoavam muito na escola por isso e foi aquela história que todo mundo conhece.
    Cresci, casei e engravidei. Na gestação, devido ao meu peso, tive pré-eclampsia e quase morri (inclusive meu filho teve alguns problemas, mas hoje é saudável, graças a Deus!)
    Minha médica sempre falava que eu precisava emagrecer, e depois desse susto na gestação decidi emagrecer.
    Antes da gestação eu achava esse negocio de peso uma “escravidão do corpo” “esteriótipos da mídia” e tudo mais.
    Hoje, mais de 22 kg mais magra, durmo melhor, vivo melhor. Luto e ajudo muitos amigos e família a emagrecer e mudar o estilo de vida. Nada de febre fitness, apenas lutar pela vida com mais qualidade.
    Falem o que quiser, usem chavões que quiserem mas acho que independente de beleza, é importante sim estar dentro do peso. Não acho legal essa onda de “seja quem você é, ignore o que os outros falam” quando se trata de obesidade. Obesidade é doença e trás uma série de problemas para a saúde.

    Oi Cinthia, então, acho que você entendeu a mensagem de forma equivocada… Não é uma apologia à obesidade, ou a não ser saudável, muito pelo contrário: o que o movimento plus size tenta fazer é mostrar que é possível ser bonita em qualquer corpo, e que é possível ser linda e saudável sem parecer com as manequins de revista. Focado na auto-estima e não na auto-indulgência, sãocoisas bem diferentes. É um movimento de democratização da beleza, e se alguém tem algum problema de saúde, seja pelo peso ou não, tem mais é que se cuidar mesmo, sabe? São pontos diferentes, abordagens diferentes, é preciso ter cuidado pra não pensar que é a mesma coisa, tá? Um beijo!

    Concordo plenamente que é possível ser linda (e principalmente saudável) sem seguir os padrões de beleza! Acho até que sem seguir as tendências fashion que faz com que todos se vistam muito parecido! Nisso não tenho dúvida
    Mas é IMPOSSÍVEL que alguem no peso dessas meninas esteja saudável. Todas são obesas, muito acima do peso. E isso nunca NUNCA será saudável. A lista de problemas e curto e longo prazo que um peso como o delas podem trazer é muito grande. Por isso acho que da a impressão que “tudo bem você ser assim, você é linda e isso que importa” é muito perigosa. Já vi muitas meninas de blogs plus size falando que estão felizes com seu corpo e não querem mudar.
    Aí que acho que uma pessoa obesa que fala isso – e que tem muita gente que se inspira nela – não deveria ser divulgada.

    • Gabi Bianco
      28 de maio de 2014 - 11:42

      Cinthia em 28 de maio de 2014 às 7:50 disse:

      Clarice Freire em 27 de maio de 2014 às 14:14 disse:

      Cinthia em 27 de maio de 2014 às 13:06 disse:

      Sei que o que vou falar é MUITO polêmico, mas vamos lá..
      Eu fui gordinha a infância toda. Me zoavam muito na escola por isso e foi aquela história que todo mundo conhece.
      Cresci, casei e engravidei. Na gestação, devido ao meu peso, tive pré-eclampsia e quase morri (inclusive meu filho teve alguns problemas, mas hoje é saudável, graças a Deus!)
      Minha médica sempre falava que eu precisava emagrecer, e depois desse susto na gestação decidi emagrecer.
      Antes da gestação eu achava esse negocio de peso uma “escravidão do corpo” “esteriótipos da mídia” e tudo mais.
      Hoje, mais de 22 kg mais magra, durmo melhor, vivo melhor. Luto e ajudo muitos amigos e família a emagrecer e mudar o estilo de vida. Nada de febre fitness, apenas lutar pela vida com mais qualidade.
      Falem o que quiser, usem chavões que quiserem mas acho que independente de beleza, é importante sim estar dentro do peso. Não acho legal essa onda de “seja quem você é, ignore o que os outros falam” quando se trata de obesidade. Obesidade é doença e trás uma série de problemas para a saúde.

      Oi Cinthia, então, acho que você entendeu a mensagem de forma equivocada… Não é uma apologia à obesidade, ou a não ser saudável, muito pelo contrário: o que o movimento plus size tenta fazer é mostrar que é possível ser bonita em qualquer corpo, e que é possível ser linda e saudável sem parecer com as manequins de revista. Focado na auto-estima e não na auto-indulgência, sãocoisas bem diferentes. É um movimento de democratização da beleza, e se alguém tem algum problema de saúde, seja pelo peso ou não, tem mais é que se cuidar mesmo, sabe? São pontos diferentes, abordagens diferentes, é preciso ter cuidado pra não pensar que é a mesma coisa, tá? Um beijo!

      Concordo plenamente que é possível ser linda (e principalmente saudável) sem seguir os padrões de beleza! Acho até que sem seguir as tendências fashion que faz com que todos se vistam muito parecido! Nisso não tenho dúvida
      Mas é IMPOSSÍVEL que alguem no peso dessas meninas esteja saudável. Todas são obesas, muito acima do peso. E isso nunca NUNCA será saudável. A lista de problemas e curto e longo prazo que um peso como o delas podem trazer é muito grande. Por isso acho que da a impressão que “tudo bem você ser assim, você é linda e isso que importa” é muito perigosa. Já vi muitas meninas de blogs plus size falando que estão felizes com seu corpo e não querem mudar.
      Aí que acho que uma pessoa obesa que fala isso – e que tem muita gente que se inspira nela – não deveria ser divulgada.

      IMPOSSÍVEL ser saudável? Eu pesava 95 quilos e todos os meus exames estavam perfeitos. Meu colesterol era sempre abaixo de 200, triglicérides normal, glicose baixíssima, fazia caminhadas… IMPOSSÍVEL é uma palavra forte.
      Emagreci porque eu quis, perdi 30 quilos, meus exames continuam maravilhosos, e a única coisa que muda é que eu agora consigo comprar roupa na Zara se quiser.
      Não fala asneira não, menina.

    • Giu Alonso
      28 de maio de 2014 - 14:33

      Cinthia em 28 de maio de 2014 às 7:50 disse:

      Clarice Freire em 27 de maio de 2014 às 14:14 disse:

      Cinthia em 27 de maio de 2014 às 13:06 disse:

      Sei que o que vou falar é MUITO polêmico, mas vamos lá..
      Eu fui gordinha a infância toda. Me zoavam muito na escola por isso e foi aquela história que todo mundo conhece.
      Cresci, casei e engravidei. Na gestação, devido ao meu peso, tive pré-eclampsia e quase morri (inclusive meu filho teve alguns problemas, mas hoje é saudável, graças a Deus!)
      Minha médica sempre falava que eu precisava emagrecer, e depois desse susto na gestação decidi emagrecer.
      Antes da gestação eu achava esse negocio de peso uma “escravidão do corpo” “esteriótipos da mídia” e tudo mais.
      Hoje, mais de 22 kg mais magra, durmo melhor, vivo melhor. Luto e ajudo muitos amigos e família a emagrecer e mudar o estilo de vida. Nada de febre fitness, apenas lutar pela vida com mais qualidade.
      Falem o que quiser, usem chavões que quiserem mas acho que independente de beleza, é importante sim estar dentro do peso. Não acho legal essa onda de “seja quem você é, ignore o que os outros falam” quando se trata de obesidade. Obesidade é doença e trás uma série de problemas para a saúde.

      Oi Cinthia, então, acho que você entendeu a mensagem de forma equivocada… Não é uma apologia à obesidade, ou a não ser saudável, muito pelo contrário: o que o movimento plus size tenta fazer é mostrar que é possível ser bonita em qualquer corpo, e que é possível ser linda e saudável sem parecer com as manequins de revista. Focado na auto-estima e não na auto-indulgência, sãocoisas bem diferentes. É um movimento de democratização da beleza, e se alguém tem algum problema de saúde, seja pelo peso ou não, tem mais é que se cuidar mesmo, sabe? São pontos diferentes, abordagens diferentes, é preciso ter cuidado pra não pensar que é a mesma coisa, tá? Um beijo!

      Concordo plenamente que é possível ser linda (e principalmente saudável) sem seguir os padrões de beleza! Acho até que sem seguir as tendências fashion que faz com que todos se vistam muito parecido! Nisso não tenho dúvida
      Mas é IMPOSSÍVEL que alguem no peso dessas meninas esteja saudável. Todas são obesas, muito acima do peso. E isso nunca NUNCA será saudável. A lista de problemas e curto e longo prazo que um peso como o delas podem trazer é muito grande. Por isso acho que da a impressão que “tudo bem você ser assim, você é linda e isso que importa” é muito perigosa. Já vi muitas meninas de blogs plus size falando que estão felizes com seu corpo e não querem mudar.
      Aí que acho que uma pessoa obesa que fala isso – e que tem muita gente que se inspira nela – não deveria ser divulgada.

      Cintia, deixa eu te falar uma coisa: e você acha que a indústria da moda “normal” (i.e., não plus size) passa uma mensagem saudável? Que as modelos que a gente vê todo dia em revista são saudáveis? Que photoshoppar meninas já magérrimas para mostrar as costelas é saudável? Você está comentendo dois erros na sua argumentação: o primeiro é fazer uma equivalência entre peso e saúde. Não é porque uma pessoa é magra que ela é saudável e porque outra é gorda que não é. Ao contrário: conheço várias magras que passam seis meses sem engolir um carboidrato que seja para continuar assim. Cortar todo um grupo alimentar é saudável? Tomar remédio, ficar sem comer, enfiar o dedo na goela para emagrecer é saudável? Este post “divulga” a obesidade tanto quanto TODO O RESTO DA MÍDIA “divulga” a magreza excessiva. A Lia já fez um post falando mais ou menos sobre isso que você deveria ler.
      Em segundo lugar, você vai me desculpar o francês, mas eu sou gorda e estou pouco me f* para a sua opinião ou a opinião de qualquer um sobre a minha saúde. Isso que você fez se chama BODY SHAMING. Você não está preocupada com a saúde dessas blogueiras nem com a das meninas que lêem o blog. Você só quer vir aqui, em um entre mil post com várias meninas magras QUE PODEM MUITO BEM ESTAR MORTALMENTE DOENTES, e minar a (pouca) auto-estima que a nossa sociedade permite a quem está fora do padrão. Te dou os parabéns pelo seu emagrecimento, se é isso que você queria e estava buscando, mas entenda que nem você nem ninguém tem direito de regular a vida e o corpo dos outros. Se eu amo meu corpo como ele é, isso significa que vou cuidar dele – não porque a Boa Forma me fala que se eu não for magra eu não valho nada, mas sim porque o amor que sinto pelo meu corpo vai me motivar a fazer o que EU achar melhor para ele.
      Então esses posts na verdade são O PRIMEIRO PASSO para que as pessoas se cuidem melhor, mostrando que elas têm valor independente do peso.

  14. Barbara Maurer
    28 de maio de 2014 - 08:14

    Oi Gabi, Eu tenho uma Amiga Alemã/Brasileira q tambem é blogueira Plus-Size http://www.luziehtan.de Vale a Pena conferir! Beijos Barbara

  15. Ana
    28 de maio de 2014 - 09:15

    Cinthia em 28 de maio de 2014 às 7:50 disse:

    Clarice Freire em 27 de maio de 2014 às 14:14 disse:

    Cinthia em 27 de maio de 2014 às 13:06 disse:

    Sei que o que vou falar é MUITO polêmico, mas vamos lá..
    Eu fui gordinha a infância toda. Me zoavam muito na escola por isso e foi aquela história que todo mundo conhece.
    Cresci, casei e engravidei. Na gestação, devido ao meu peso, tive pré-eclampsia e quase morri (inclusive meu filho teve alguns problemas, mas hoje é saudável, graças a Deus!)
    Minha médica sempre falava que eu precisava emagrecer, e depois desse susto na gestação decidi emagrecer.
    Antes da gestação eu achava esse negocio de peso uma “escravidão do corpo” “esteriótipos da mídia” e tudo mais.
    Hoje, mais de 22 kg mais magra, durmo melhor, vivo melhor. Luto e ajudo muitos amigos e família a emagrecer e mudar o estilo de vida. Nada de febre fitness, apenas lutar pela vida com mais qualidade.
    Falem o que quiser, usem chavões que quiserem mas acho que independente de beleza, é importante sim estar dentro do peso. Não acho legal essa onda de “seja quem você é, ignore o que os outros falam” quando se trata de obesidade. Obesidade é doença e trás uma série de problemas para a saúde.

    Oi Cinthia, então, acho que você entendeu a mensagem de forma equivocada… Não é uma apologia à obesidade, ou a não ser saudável, muito pelo contrário: o que o movimento plus size tenta fazer é mostrar que é possível ser bonita em qualquer corpo, e que é possível ser linda e saudável sem parecer com as manequins de revista. Focado na auto-estima e não na auto-indulgência, sãocoisas bem diferentes. É um movimento de democratização da beleza, e se alguém tem algum problema de saúde, seja pelo peso ou não, tem mais é que se cuidar mesmo, sabe? São pontos diferentes, abordagens diferentes, é preciso ter cuidado pra não pensar que é a mesma coisa, tá? Um beijo!

    Concordo plenamente que é possível ser linda (e principalmente saudável) sem seguir os padrões de beleza! Acho até que sem seguir as tendências fashion que faz com que todos se vistam muito parecido! Nisso não tenho dúvida
    Mas é IMPOSSÍVEL que alguem no peso dessas meninas esteja saudável. Todas são obesas, muito acima do peso. E isso nunca NUNCA será saudável. A lista de problemas e curto e longo prazo que um peso como o delas podem trazer é muito grande. Por isso acho que da a impressão que “tudo bem você ser assim, você é linda e isso que importa” é muito perigosa. Já vi muitas meninas de blogs plus size falando que estão felizes com seu corpo e não querem mudar.
    Aí que acho que uma pessoa obesa que fala isso – e que tem muita gente que se inspira nela – não deveria ser divulgada.

    Olha, me desculpa, mas acho que você afirmar que TODAS as meninas desse post são obesas e NENHUMA pode estar saudável é injusto e meio absurdo.

    Acho complicado e discriminatório o que a medicina moderna faz com a obesidade hoje. Se uma pessoa gorda entra num consultório médico, não importa qual seja o problema, qual seja o estilo de vida dela, o primeiro passo SEMPRE É perder peso. Já leu um texto de um relato da paciente – obesa – que precisava de acompanhamento pra anemia e o médico mandou perder peso? Ela se recusou, porque sabia que era anêmica e aquela dieta recomendada agravaria a doença, aquele médico era só uma segunda opinião: “emagrece, depois a gente vê se o que você tem é MESMO anemia”.

    Eu sou obesa, não tenho problemas de saúde (sei que “ainda não”) e faço parte de um grupo de acompanhamento de peso cujo foco não é PERDER PESO, mas manter a qualidade de vida. Perder peso é uma eventualidade ali. Todos os profissionais envolvidos te mostram que é possível ter uma vida ativa e saudável mesmo com sobrepeso. Acho que a proposta da autoestima da mulher gorda, como bem disse a Clarice, não é a auto-indulgência, não é “aceitar que é isso mesmo, foda-se, vou comer todos os x-burguer que couberem”. É entender que você precisa SE GOSTAR em primeiro lugar antes de dar ouvido pro que qualquer pessoa anda falando pra você, seja sobre seu corpo ou sobre sua saúde. E assim, e só assim, que você aprende a respeitar seu próprio corpo, não só no sentido estético, mas também fazendo por ele o que o mantém equilibrado. Afinal, menina gorda cresce a vida toda ouvindo que TEM QUE EMAGRECER. Isso tá entranhado de uma forma que TEM QUE EMAGRECER a qualquer custo, se você foi obesa, você sabe. E sabe que chega naquele ponto que qualquer coisa tá valendo. Eu sei. Eu tomei remédio, eu fiquei anêmica, eu não tinha força pra praticar esportes porque não comia graças à anfepromona, eu vivia nervosa e irritada, me arranhava e arrancava os cabelos. Emagreci, mas aquilo que eu tava vivendo tava muito longe da ideia de saúde que a perda de peso proporcionaria. E é por aí que vai: menina que se gosta, com autoestima, que SE RESPEITA não vai fazer essas tontices SÓ pra perder peso, muito menos se tiver tudo bem com ela. Meu organismo tava equilibrado antes do remédio (quando eu era obesa, veja bem) e ficou todo descompensado depois. Hoje, eu não faria isso de novo… não só porque eu aceito muito mais meu corpo gordo esteticamente, mas porque me gosto muito mais num todo.

    Enfim, desculpa se divaguei, mas é por isso que acho complicado comentário que nem o seu. A gente já vive num mundo de apagamento e marginalização do obeso, como se todos nós fôssemos bombas a explodir a qualquer instante, e ainda por cima não nos deve ser dado o direito de nos sentirmos bem com o nosso corpo?! Ai, não.

    • Clarice Freire
      28 de maio de 2014 - 11:50

      Ana em 28 de maio de 2014 às 9:15 disse:

      Cinthia em 28 de maio de 2014 às 7:50 disse:

      Clarice Freire em 27 de maio de 2014 às 14:14 disse:

      Cinthia em 27 de maio de 2014 às 13:06 disse:

      Sei que o que vou falar é MUITO polêmico, mas vamos lá..
      Eu fui gordinha a infância toda. Me zoavam muito na escola por isso e foi aquela história que todo mundo conhece.
      Cresci, casei e engravidei. Na gestação, devido ao meu peso, tive pré-eclampsia e quase morri (inclusive meu filho teve alguns problemas, mas hoje é saudável, graças a Deus!)
      Minha médica sempre falava que eu precisava emagrecer, e depois desse susto na gestação decidi emagrecer.
      Antes da gestação eu achava esse negocio de peso uma “escravidão do corpo” “esteriótipos da mídia” e tudo mais.
      Hoje, mais de 22 kg mais magra, durmo melhor, vivo melhor. Luto e ajudo muitos amigos e família a emagrecer e mudar o estilo de vida. Nada de febre fitness, apenas lutar pela vida com mais qualidade.
      Falem o que quiser, usem chavões que quiserem mas acho que independente de beleza, é importante sim estar dentro do peso. Não acho legal essa onda de “seja quem você é, ignore o que os outros falam” quando se trata de obesidade. Obesidade é doença e trás uma série de problemas para a saúde.

      Oi Cinthia, então, acho que você entendeu a mensagem de forma equivocada… Não é uma apologia à obesidade, ou a não ser saudável, muito pelo contrário: o que o movimento plus size tenta fazer é mostrar que é possível ser bonita em qualquer corpo, e que é possível ser linda e saudável sem parecer com as manequins de revista. Focado na auto-estima e não na auto-indulgência, sãocoisas bem diferentes. É um movimento de democratização da beleza, e se alguém tem algum problema de saúde, seja pelo peso ou não, tem mais é que se cuidar mesmo, sabe? São pontos diferentes, abordagens diferentes, é preciso ter cuidado pra não pensar que é a mesma coisa, tá? Um beijo!

      Concordo plenamente que é possível ser linda (e principalmente saudável) sem seguir os padrões de beleza! Acho até que sem seguir as tendências fashion que faz com que todos se vistam muito parecido! Nisso não tenho dúvida
      Mas é IMPOSSÍVEL que alguem no peso dessas meninas esteja saudável. Todas são obesas, muito acima do peso. E isso nunca NUNCA será saudável. A lista de problemas e curto e longo prazo que um peso como o delas podem trazer é muito grande. Por isso acho que da a impressão que “tudo bem você ser assim, você é linda e isso que importa” é muito perigosa. Já vi muitas meninas de blogs plus size falando que estão felizes com seu corpo e não querem mudar.
      Aí que acho que uma pessoa obesa que fala isso – e que tem muita gente que se inspira nela – não deveria ser divulgada.

      Olha, me desculpa, mas acho que você afirmar que TODAS as meninas desse post são obesas e NENHUMA pode estar saudável é injusto e meio absurdo.

      Acho complicado e discriminatório o que a medicina moderna faz com a obesidade hoje. Se uma pessoa gorda entra num consultório médico, não importa qual seja o problema, qual seja o estilo de vida dela, o primeiro passo SEMPRE É perder peso. Já leu um texto de um relato da paciente – obesa – que precisava de acompanhamento pra anemia e o médico mandou perder peso? Ela se recusou, porque sabia que era anêmica e aquela dieta recomendada agravaria a doença, aquele médico era só uma segunda opinião: “emagrece, depois a gente vê se o que você tem é MESMO anemia”.

      Eu sou obesa, não tenho problemas de saúde (sei que “ainda não”) e faço parte de um grupo de acompanhamento de peso cujo foco não é PERDER PESO, mas manter a qualidade de vida. Perder peso é uma eventualidade ali. Todos os profissionais envolvidos te mostram que é possível ter uma vida ativa e saudável mesmo com sobrepeso. Acho que a proposta da autoestima da mulher gorda, como bem disse a Clarice, não é a auto-indulgência, não é “aceitar que é isso mesmo, foda-se, vou comer todos os x-burguer que couberem”. É entender que você precisa SE GOSTAR em primeiro lugar antes de dar ouvido pro que qualquer pessoa anda falando pra você, seja sobre seu corpo ou sobre sua saúde. E assim, e só assim, que você aprende a respeitar seu próprio corpo, não só no sentido estético, mas também fazendo por ele o que o mantém equilibrado. Afinal, menina gorda cresce a vida toda ouvindo que TEM QUE EMAGRECER. Isso tá entranhado de uma forma que TEM QUE EMAGRECER a qualquer custo, se você foi obesa, você sabe. E sabe que chega naquele ponto que qualquer coisa tá valendo. Eu sei. Eu tomei remédio, eu fiquei anêmica, eu não tinha força pra praticar esportes porque não comia graças à anfepromona, eu vivia nervosa e irritada, me arranhava e arrancava os cabelos. Emagreci, mas aquilo que eu tava vivendo tava muito longe da ideia de saúde que a perda de peso proporcionaria. E é por aí que vai: menina que se gosta, com autoestima, que SE RESPEITA não vai fazer essas tontices SÓ pra perder peso, muito menos se tiver tudo bem com ela. Meu organismo tava equilibrado antes do remédio (quando eu era obesa, veja bem) e ficou todo descompensado depois. Hoje, eu não faria isso de novo… não só porque eu aceito muito mais meu corpo gordo esteticamente, mas porque me gosto muito mais num todo.

      Enfim, desculpa se divaguei, mas é por isso que acho complicado comentário que nem o seu. A gente já vive num mundo de apagamento e marginalização do obeso, como se todos nós fôssemos bombas a explodir a qualquer instante, e ainda por cima não nos deve ser dado o direito de nos sentirmos bem com o nosso corpo?! Ai, não.

      Ana, perfeito o seu comentário! É impressionante como as pessoas assumem certas “verdades” só de olhar pra uma foto. Bem no estilo “julgar um livro pela capa”. Outra coisa, pelo amor de Dadá, não tem nada a ver com peso. É sobre autoestima! Ser saudável é prerrogativa pra qualquer pessoa, independente do IMC ou o escambau. Entendam que qualquer pessoa, QUALQUER PESSOA um dia na vida vai ter a saúde mais pra lá do que pra cá e o ideal é estar sempre se cuidando pra se manter mais ou menos saudável. Deixem de xiitismo, quanta vergonha desse povo obtuso, viu. Agora em todo blog de moda e afins as autoras e colaboradoras vão ter que adicionar links mensais dos exames de sangue, urina e fezes que fazem, pelo visto! Daqui a pouco a OMS vai lançar documento oficial! Gordas e magras, se preparem!

  16. Cinthia
    28 de maio de 2014 - 11:51

    Ana em 28 de maio de 2014 às 9:15 disse:

    Cinthia em 28 de maio de 2014 às 7:50 disse:

    Clarice Freire em 27 de maio de 2014 às 14:14 disse:

    Cinthia em 27 de maio de 2014 às 13:06 disse:

    Sei que o que vou falar é MUITO polêmico, mas vamos lá..
    Eu fui gordinha a infância toda. Me zoavam muito na escola por isso e foi aquela história que todo mundo conhece.
    Cresci, casei e engravidei. Na gestação, devido ao meu peso, tive pré-eclampsia e quase morri (inclusive meu filho teve alguns problemas, mas hoje é saudável, graças a Deus!)
    Minha médica sempre falava que eu precisava emagrecer, e depois desse susto na gestação decidi emagrecer.
    Antes da gestação eu achava esse negocio de peso uma “escravidão do corpo” “esteriótipos da mídia” e tudo mais.
    Hoje, mais de 22 kg mais magra, durmo melhor, vivo melhor. Luto e ajudo muitos amigos e família a emagrecer e mudar o estilo de vida. Nada de febre fitness, apenas lutar pela vida com mais qualidade.
    Falem o que quiser, usem chavões que quiserem mas acho que independente de beleza, é importante sim estar dentro do peso. Não acho legal essa onda de “seja quem você é, ignore o que os outros falam” quando se trata de obesidade. Obesidade é doença e trás uma série de problemas para a saúde.

    Oi Cinthia, então, acho que você entendeu a mensagem de forma equivocada… Não é uma apologia à obesidade, ou a não ser saudável, muito pelo contrário: o que o movimento plus size tenta fazer é mostrar que é possível ser bonita em qualquer corpo, e que é possível ser linda e saudável sem parecer com as manequins de revista. Focado na auto-estima e não na auto-indulgência, sãocoisas bem diferentes. É um movimento de democratização da beleza, e se alguém tem algum problema de saúde, seja pelo peso ou não, tem mais é que se cuidar mesmo, sabe? São pontos diferentes, abordagens diferentes, é preciso ter cuidado pra não pensar que é a mesma coisa, tá? Um beijo!

    Concordo plenamente que é possível ser linda (e principalmente saudável) sem seguir os padrões de beleza! Acho até que sem seguir as tendências fashion que faz com que todos se vistam muito parecido! Nisso não tenho dúvida
    Mas é IMPOSSÍVEL que alguem no peso dessas meninas esteja saudável. Todas são obesas, muito acima do peso. E isso nunca NUNCA será saudável. A lista de problemas e curto e longo prazo que um peso como o delas podem trazer é muito grande. Por isso acho que da a impressão que “tudo bem você ser assim, você é linda e isso que importa” é muito perigosa. Já vi muitas meninas de blogs plus size falando que estão felizes com seu corpo e não querem mudar.
    Aí que acho que uma pessoa obesa que fala isso – e que tem muita gente que se inspira nela – não deveria ser divulgada.

    Olha, me desculpa, mas acho que você afirmar que TODAS as meninas desse post são obesas e NENHUMA pode estar saudável é injusto e meio absurdo.

    Acho complicado e discriminatório o que a medicina moderna faz com a obesidade hoje. Se uma pessoa gorda entra num consultório médico, não importa qual seja o problema, qual seja o estilo de vida dela, o primeiro passo SEMPRE É perder peso. Já leu um texto de um relato da paciente – obesa – que precisava de acompanhamento pra anemia e o médico mandou perder peso? Ela se recusou, porque sabia que era anêmica e aquela dieta recomendada agravaria a doença, aquele médico era só uma segunda opinião: “emagrece, depois a gente vê se o que você tem é MESMO anemia”.

    Eu sou obesa, não tenho problemas de saúde (sei que “ainda não”) e faço parte de um grupo de acompanhamento de peso cujo foco não é PERDER PESO, mas manter a qualidade de vida. Perder peso é uma eventualidade ali. Todos os profissionais envolvidos te mostram que é possível ter uma vida ativa e saudável mesmo com sobrepeso. Acho que a proposta da autoestima da mulher gorda, como bem disse a Clarice, não é a auto-indulgência, não é “aceitar que é isso mesmo, foda-se, vou comer todos os x-burguer que couberem”. É entender que você precisa SE GOSTAR em primeiro lugar antes de dar ouvido pro que qualquer pessoa anda falando pra você, seja sobre seu corpo ou sobre sua saúde. E assim, e só assim, que você aprende a respeitar seu próprio corpo, não só no sentido estético, mas também fazendo por ele o que o mantém equilibrado. Afinal, menina gorda cresce a vida toda ouvindo que TEM QUE EMAGRECER. Isso tá entranhado de uma forma que TEM QUE EMAGRECER a qualquer custo, se você foi obesa, você sabe. E sabe que chega naquele ponto que qualquer coisa tá valendo. Eu sei. Eu tomei remédio, eu fiquei anêmica, eu não tinha força pra praticar esportes porque não comia graças à anfepromona, eu vivia nervosa e irritada, me arranhava e arrancava os cabelos. Emagreci, mas aquilo que eu tava vivendo tava muito longe da ideia de saúde que a perda de peso proporcionaria. E é por aí que vai: menina que se gosta, com autoestima, que SE RESPEITA não vai fazer essas tontices SÓ pra perder peso, muito menos se tiver tudo bem com ela. Meu organismo tava equilibrado antes do remédio (quando eu era obesa, veja bem) e ficou todo descompensado depois. Hoje, eu não faria isso de novo… não só porque eu aceito muito mais meu corpo gordo esteticamente, mas porque me gosto muito mais num todo.

    Enfim, desculpa se divaguei, mas é por isso que acho complicado comentário que nem o seu. A gente já vive num mundo de apagamento e marginalização do obeso, como se todos nós fôssemos bombas a explodir a qualquer instante, e ainda por cima não nos deve ser dado o direito de nos sentirmos bem com o nosso corpo?! Ai, não.

    Eu acredito que você tenha uma experiência própria e que questões psicológicas se associaram a sua perda de peso. Mas estudos mil e pesquisas médicas não podem estar errado por causa de uma experiência própria.

    Obesidade é considerada uma doença epidêmica pela OMS e mata milhões de pessoas pelo mundo.

    Acho que quanto mais cedo as pessoas verem isso melhor. Não adianta cobrir o sol com a peneira e nem com frases de afirmação e autoajuda.

    Não está ligado a moda fitness, não está ligado a anorexia nem nada disso. O corpo não aguenta tanto tecido adiposo sem tremular para algum lado.

    A vida que a gente leva hoje não ajuda, considero uma luta até para quem nunca foi gordinho, imagina para alguém como eu, que já fui obesa, me manter em um peso saudável!

    Se perder peso fosse fácil a ciência não teria tanto esforço (médico, psicológico) para mudar a condição dos indivíduos!

    Por isso acho que qualquer apologia a obesidade é negativa. Isso afeta diretamente na vida das pessoas que convivem com isso (e que são muito suscetíveis a tudo nesse assunto, ofensas e elogios). Se você é gordinha sabe que quando estamos acima do peso é impossível não passar um dia sem pensar no peso, sem se olhar no espelho e tentar ver “que não estou tão gorda assim! Olha que lindas pernas eu tenho, melhor que de muita magra” e assim ir caminhando para um caminho com uma volta muuuuito, muito difícil.

  17. Andréia
    28 de maio de 2014 - 12:00

    Amei! vivemos um mundo de fantasia. No face nas fotos famílias são lindas, sem problemas,felizes, sempre a passeio.Os comentários são só flores. Nas passarelas mulheres magérrimas. E na realidade uma sociedade que mais fala em regime com uma população cada vez mais gorda.
    Excelente! Controle do peso para saúde, mas auto estima sim até nas fases pesadas.

  18. Susana Clemente
    28 de maio de 2014 - 12:05

    Amei tudo!!!

  19. Aline Tica
    28 de maio de 2014 - 20:23

    Lia!
    Também tem a Jeh do Blog Femme Fatale! http://www.femmefatalebyjeh.com/

  20. Bianca
    28 de maio de 2014 - 21:17

    Cinthia em 28 de maio de 2014 às 7:50 disse:

    Clarice Freire em 27 de maio de 2014 às 14:14 disse:

    Cinthia em 27 de maio de 2014 às 13:06 disse:

    Sei que o que vou falar é MUITO polêmico, mas vamos lá..
    Eu fui gordinha a infância toda. Me zoavam muito na escola por isso e foi aquela história que todo mundo conhece.
    Cresci, casei e engravidei. Na gestação, devido ao meu peso, tive pré-eclampsia e quase morri (inclusive meu filho teve alguns problemas, mas hoje é saudável, graças a Deus!)
    Minha médica sempre falava que eu precisava emagrecer, e depois desse susto na gestação decidi emagrecer.
    Antes da gestação eu achava esse negocio de peso uma “escravidão do corpo” “esteriótipos da mídia” e tudo mais.
    Hoje, mais de 22 kg mais magra, durmo melhor, vivo melhor. Luto e ajudo muitos amigos e família a emagrecer e mudar o estilo de vida. Nada de febre fitness, apenas lutar pela vida com mais qualidade.
    Falem o que quiser, usem chavões que quiserem mas acho que independente de beleza, é importante sim estar dentro do peso. Não acho legal essa onda de “seja quem você é, ignore o que os outros falam” quando se trata de obesidade. Obesidade é doença e trás uma série de problemas para a saúde.

    Oi Cinthia, então, acho que você entendeu a mensagem de forma equivocada… Não é uma apologia à obesidade, ou a não ser saudável, muito pelo contrário: o que o movimento plus size tenta fazer é mostrar que é possível ser bonita em qualquer corpo, e que é possível ser linda e saudável sem parecer com as manequins de revista. Focado na auto-estima e não na auto-indulgência, sãocoisas bem diferentes. É um movimento de democratização da beleza, e se alguém tem algum problema de saúde, seja pelo peso ou não, tem mais é que se cuidar mesmo, sabe? São pontos diferentes, abordagens diferentes, é preciso ter cuidado pra não pensar que é a mesma coisa, tá? Um beijo!

    Concordo plenamente que é possível ser linda (e principalmente saudável) sem seguir os padrões de beleza! Acho até que sem seguir as tendências fashion que faz com que todos se vistam muito parecido! Nisso não tenho dúvida
    Mas é IMPOSSÍVEL que alguem no peso dessas meninas esteja saudável. Todas são obesas, muito acima do peso. E isso nunca NUNCA será saudável. A lista de problemas e curto e longo prazo que um peso como o delas podem trazer é muito grande. Por isso acho que da a impressão que “tudo bem você ser assim, você é linda e isso que importa” é muito perigosa. Já vi muitas meninas de blogs plus size falando que estão felizes com seu corpo e não querem mudar.
    Aí que acho que uma pessoa obesa que fala isso – e que tem muita gente que se inspira nela – não deveria ser divulgada.

    hahahahah Tranquem as obesas em suas casas, elas não tem direito a se expressar, nem divulgar as roupas que usam, muito menos ter blog. #sóquenão

    Já eu acho que quem quer cercear a liberdade alheia, julgando APENAS PELA APARÊNCIA é deveria ser criticado.

    Me avise por favor se você teve acesso ao hemograma completo, testes de tireóide, de esforço físico e se também passou pelo menos 1 mês na casa delas fotografando o que elas comem, porque aí sim, eu te daria algum crédito. Você não pode falar em saúde, até porque, enquanto você está provavelmente sentada, falhando mal da vida alheia, elas estão andando por aí, mostrando seus looks.

    Que vergonha desse mundo, meu deus! Ninguém tá apoiando ficar doente nem sedentarismo. Vamos aprender a ler e a respeitar as pessoas!

    *Desculpa o desabafo, Lia. Mas às vezes não dá pra ignorar essas idiotices.

  21. Renata
    29 de maio de 2014 - 01:30

    Amei demais a iniciativa! Faz com que possamos nos incentivar a nos aceitarmos mais!

  22. Katha // kathastrophal
    29 de maio de 2014 - 05:19

    Thank you so much for including me and my blog!
    Unfortunately, I don’t speak Portugese, but I used Google Translate and I’m very flattered by your kind words.

    Have a great day! <3
    Katha

  23. […] Clica aqui para conhecer essas gatas!! […]

  24. Dani
    29 de maio de 2014 - 09:50

    Podem falar o que quiserem, mas gosto é gosto, e eu não acho bonito..

  25. Gabi
    29 de maio de 2014 - 14:17

    Katha // kathastrophal em 29 de maio de 2014 às 5:19 disse:

    Thank you so much for including me and my blog!
    Unfortunately, I don’t speak Portugese, but I used Google Translate and I’m very flattered by your kind words.

    Have a great day! <3
    Katha

    Thank you for your kindness, Katha! We loved your blog and your style! <3

  26. Gabi
    29 de maio de 2014 - 14:21

    Dani em 29 de maio de 2014 às 9:50 disse:

    Podem falar o que quiserem, mas gosto é gosto, e eu não acho bonito..

    Tudo bem, Dani.
    Os gordos continuarão existindo e se amando, você gostando ou não. :)

  27. Gabi
    29 de maio de 2014 - 14:23

    Renata em 29 de maio de 2014 às 1:30 disse:

    Amei demais a iniciativa! Faz com que possamos nos incentivar a nos aceitarmos mais!

    Fico muito feliz de saber, Renata! <3 Essa é a nossa intenção com esses posts!

  28. Isabella
    30 de maio de 2014 - 00:09

    Acho ótimo que essas meninas tenham uma boa auto-estima, se aceitam e acima de tudo sabem lidar tão bem com seu corpo. Mas… acho que o movimento maior deveria ser não pela aceitação do corpo gordinho, mas sim pela busca da saúde. Não conheço nenhuma dessas meninas e não sei se elas são saudáveis ou não, mas é inegável que uma pessoa obesa está muito mais propensa a n doenças do que uma pessoa de IMC normal. Não consigo achar nada bom que tanta gente, por aceitar de boa seu corpo gordinho, acabe esquecendo os problemas que ele pode trazer pra saúde (novamente, não sei se é o caso delas, mas que tem muita gente assim, tem)…

    bjos!

    • Priscila
      31 de dezembro de 2014 - 19:26

      Isabella em 30 de maio de 2014 às 0:09 disse:

      Acho ótimo que essas meninas tenham uma boa auto-estima, se aceitam e acima de tudo sabem lidar tão bem com seu corpo. Mas… acho que o movimento maior deveria ser não pela aceitação do corpo gordinho, mas sim pela busca da saúde. Não conheço nenhuma dessas meninas e não sei se elas são saudáveis ou não, mas é inegável que uma pessoa obesa está muito mais propensa a n doenças do que uma pessoa de IMC normal. Não consigo achar nada bom que tanta gente, por aceitar de boa seu corpo gordinho, acabe esquecendo os problemas que ele pode trazer pra saúde (novamente, não sei se é o caso delas, mas que tem muita gente assim, tem)…

      bjos!

      Entendo sua questão. Saúde é uma coisas preciosa e precisamos cuidar dela. Mas por que nunca se pensa nisso quando se folheia uma revista de moda com modelos esqueléticas? O problema não é você exaltar a saúde, o ruim é quando fazemos isso para um determinado grupo já pré-determinado como “não-saudável” e eclipsamos os outros.

  29. Ducimara Cássia
    30 de maio de 2014 - 11:30

    Amo o estilo da Jessica Kanes, até por que tirando a altura… o “formato” do meu corpo é muito parecido com o Dela… então acabo me inspirando em seu estilo e na maneira com que ela usa as roupas… Parabéns Lia!! adoro quando vc faz postagens sobre a moda Pul Size…

  30. Schlotti
    03 de junho de 2014 - 02:58

    (I already wrote a comment last week but it’s lost somewhere)

    Dear Lia,
    thank you so so much for your kind words and your mention.
    These blogger are all beautiful ladies who love their bodies as they are. That’s great!

    Can I ask you how do you know our German blogs?

    Have a wonderful day,
    Obrigado,
    Charlotte

  31. […] diferentes e ver o que fica bom – e se achou bom, arrisque, use, saia de casa assim. Como bem disse a Lia nesse post aqui, a vida é muito curta pra não usar o que se quer […]

  32. Ana Paula
    30 de julho de 2014 - 15:20

    Gostaria de sugerir novos post nesta mesma linha. Tenho o corpo do tipo PÊRA/TRIÂNGULO (ombros curtos e quadril largo), ainda por cima sem busto nenhum e um pouco de culote, e quase não vejo blogueiras de moda com esse perfil. Seria legal ter posts sobre blogueiras de cada formato de corpo.

  33. Dany Marcon
    06 de fevereiro de 2015 - 03:14

    Ai como é bom ver essa mulherada toda inspirada se amando, sou super fã da Debora Fernandes la foi a minha grande inspiração para o meu blog. Convido vocês meninas a conhecer o meu blog também! Espero que gostem! bjs
    http://www.blogabafaocaso.blogspot.com

8assista Just Lia TV no youtube9
Outros vídeos
8siga @liacamargo no instagram9