20 de janeiro de 2016 - 08:00
25
Estilo

Como usar: Turbante

O turbante, muito mais do que um simples acessório de cabeça, é um símbolo de luta e resistência. No Brasil, ele carrega vários significados – como empoderamento e sabedoria, por exemplo – e representa um grande resgate da cultura ancestral africana. Ele possui um papel fortíssimo nas religiões de origens africanas, porque é usado para proteger o “ori”, que significa cabeça na língua yorubá.

O acessório vem ganhando cada vez mais espaço nas ruas como forma de reconhecimento e valorização da cultura negra na contemporaneidade, como consciência e orgulho da sua origem. Ou seja, o turbante não é modinha. Ele é um elemento político-social de empoderamento do povo negro. Para a mulher negra (e para as meninas negras também!), o turbante é a sua própria coroa. Por isso, todo o respeito à cultura é o mínimo que nós, brancas, podemos fazer. Para continuar a ler sobre o assunto, indico muito os textos da Fernnandah, da Karoline e da Stephanie.

A moda possui um poder de apropriação cultural muitas vezes nocivo, o que tornou qualquer amarração na cabeça um “turbante”. Porém, é bom que fique claro: isso, isso e isso são lenços ou faixas de cabelo. Turbante de verdade é geralmente feito de um tecido retangular comprido, mais grosso, e que possibilita diversas amarrações. No Youtube, várias meninas ensinam maneiras de amarrá-lo. Aproveita e vê os vídeos das lindonas Rayza, Magá, Yuli,  e Débora para ter mais ideias na hora de colocar o seu. ;)

Onde comprar: Dresscoração, Turbante-se, Boutique de Krioula, Maria Chantal, Ttrappo e AFROntará.

1. Turbante com vestido

2. Turbante com saia

3. Turbante com short

4. Turbante com calça

5. Turbante com calça jeans

Post Anterior
Batalha de Cabelo: Hilary Duff
Próximo Post
Estilo de blogueira: Renata Fukuda
...Comentarios...
25 Comentários

Para usar avatar, cadastre-se com seu email em gravatar.com
  1. Bianca
    20 de janeiro de 2016 - 09:35

    Que bom que falaram sobre apropriação cultural nesse post :) fiquei feliz também de ver negras maravilhosas com esse acessório! E acho que da mesma forma que as pessoas chamam lenços de turbante, as pessoas insistem em chamar aquele cardigã levinho e aberto de kimono. Eu sei que foi inspirado nos kimonos de verdade, mas acho meio esquisito quando falam que aquilo é um kimono.
    Às vezes a moda coloca alguns nomes nas tendências que não deviam ser utilizados! O mesmo vale para estampa “étnica”.
    Beijos!

    • Jéssica
      20 de janeiro de 2016 - 14:11

      Concordo em tudo Bianca…também DETESTOOOO o termo “estampa étnica”….aff. rs

      Beijos


  2. 20 de janeiro de 2016 - 10:37

    Que coisa mais linda!! <3 #representatividade

  3. Brunna
    20 de janeiro de 2016 - 11:36

    Os turbantes são bonitos mesmo. Mas uma vez usei e não gostei. A parte do meio da minha cabeça ficou quente e suando e ficou dando vontade de coçar (acho que devido ao fato de eu ter muito cabelo). Usaria novamente só o modelo da “turbante com saia” foto 2 e 3 e deixar meus cabelos respirarem um pouco.

  4. Dianna Ramos
    20 de janeiro de 2016 - 11:50

    Acho muito interessante esta matéria,mas discordo num ponto.Turbantes serem acessórios de negras,uma vez que sou branca e adoro usá-los.Porém queri saber técnicas para usar,pois na maioria das vezes peço ajuda.
    Grata,

    • Li
      21 de janeiro de 2016 - 15:11

      Dianna Ramos em 20 de janeiro de 2016 às 11:50 disse:

      Acho muito interessante esta matéria,mas discordo num ponto.Turbantes serem acessórios de negras,uma vez que sou branca e adoro usá-los.Porém queri saber técnicas para usar,pois na maioria das vezes peço ajuda.
      Grata,

      “…o turbante não é modinha. Ele é um elemento político-social de empoderamento do povo negro. Para a mulher negra (e para as meninas negras também!), o turbante é a sua própria coroa. Por isso, todo o respeito à cultura é o mínimo que nós, brancas, podemos fazer.”

      Dianna Ramos em 20 de janeiro de 2016 às 11:50 disse:

      Acho muito interessante esta matéria,mas discordo num ponto.Turbantes serem acessórios de negras,uma vez que sou branca e adoro usá-los.Porém queri saber técnicas para usar,pois na maioria das vezes peço ajuda.
      Grata,

  5. Anne
    20 de janeiro de 2016 - 16:08

    Alguma dúvida de que a Gabi arrasaria com esse post? Adorei todas as informações e referências.

  6. Giovanna
    20 de janeiro de 2016 - 17:16

    Oi!
    Na G. Offer também tem vários modelos de turbantes aramados http://www.goffer.co/turbantes-

  7. Anna
    20 de janeiro de 2016 - 17:26

    Que post lindo, to orgulhosa <3

  8. Amanda Hannah
    20 de janeiro de 2016 - 17:35

    Lindo lindo lindo demais essa post! Não sou negra, mas meu apoio é total desta causa, amo desconstruir e aprender a cada dia pra fazer o mundo melhor para todos! Parabéns por trazer o tema pro blog

  9. Mia Freiesleben
    20 de janeiro de 2016 - 17:55

    Gabi, Lia… Parabéns pelo post!
    Essa é uma prova de que blogueiras de moda e maquiagem podem passar informação cultural e conscientizar as suas leitoras para assuntos bem importantes para a sociedade.

  10. Debis Lima
    20 de janeiro de 2016 - 20:15

    Acho que fica muito bem com pessoas altas e magras. Não sei se ficaria bem em mim, acho que fico pouco feminina qdo os cabelos não estão à mostra, mas tem gente que tem rosto muito bonito e fica bem com turbante. A Kelly soube combinar o turbante com a roupa, tudo verde, achei super positivo.

    Bjs, http://www.debiseomundo.com

  11. Mani
    20 de janeiro de 2016 - 20:40

    Post Maravilhosooooo… Eu acho turbante lindíssimo e um traço tão forte da influência africana na nossa cultura, uma parte tão marcante. Passei um mês em Angola e as mulheres usam DEMAIS turbante. Sempre! E amarram em 2 segundos, incrível <333
    =*
    Mani Piñeiro

  12. Bárbara Bastos
    20 de janeiro de 2016 - 21:04

    A-R-R-A-S-O-U!!! Um post bem-escrito e estudado, com modelos sensacionais. Arrasou, Gabi, especialmente porque, por curiosidade, joguei no google “como usar turbante” e apareceram algumas páginas que falam “turbante/lenço” – é ótimo que tenha esclarecido a diferença. Um excelente post em todos os sentidos possíveis.

  13. Flávia
    20 de janeiro de 2016 - 22:55

    Gabi, que post demais!!! Vc pegou num ponto muito importante: as mulheres negras na moda, ao usarem um item que tanto representa sua ancestralidade. Parabéns pelo texto e seleção de fotos, inspiradores! Vejo tantos blogs de moda que não citam UMA dica de beleza/ referencia a negras e vc faz um post incrivel! Amei!!! Um beijo!

  14. Ayme
    21 de janeiro de 2016 - 10:25

    Adorei o post! Em muitos blogs a gente percebe a ausência desse tipo de colocação política-cultural quando se trata de moda. O turbante significa muito mais do que um acessório banal e deve ser compreendido como um símbolo de poder e individualidade da mulher negra. Parabéns!!

  15. Babeth
    21 de janeiro de 2016 - 16:12

    Amei!!

  16. Lais
    22 de janeiro de 2016 - 22:22

    Obg orixás por um post que fala sobre turbantes e só temos blogueiras negras \o/

  17. Apiperina
    23 de janeiro de 2016 - 00:50

    Desenvolvo turbantes com estampas local, um novo conceito de lenços que podem virar blusa, echarpes, bolero, conforme o tipo de amarração Visitem: http://www.facebook.com/apiperina

  18. Mica
    24 de janeiro de 2016 - 10:21

    Post incrível!!!!!! <3

  19. Nath Sciamareli
    28 de janeiro de 2016 - 14:41

    Caramba, amei o post!
    Falar de resistência do movimento negro num blog tão grande, usar apenas modelos negras no editorial… isso é sensacional!

  20. Julia
    15 de fevereiro de 2016 - 10:39

    Simplesmente adorei seu post. Quando eu vi que era sobre turbantes ja pensei “ê lerê, la vem a apropeiação cultural por brancas”, mas nao! Amei seunpost! Mesmo mesmo!

    Mas infelizmenfe muitas manas acima nao se tocaram ainda. Entao eu vou ser mais clara:

    TURBANTE É PARA MULHERES NEGRAS. SE VC NÃO É, MAS QUER USAR PQ ACHA BONITINHO, SAIBA QUE É UMA PUTA FALTA DE RESPEITO.

    Não dá pra se valer do argumento de que o mundo é livre e vc usa onque vc quiser. É ofensivo usar um simbolo de resistencia como moda.

    É lindo? É! Adoraria usar? Claro! Mas eu tenho que entender acima de tudo onque ele representa. E por nao ser negra eu não posso usar uma simbologia tão forte como mero acessório.

    Ah é! E nao importa se vc fez intercambio em algum pais africano, tem migas negras, ama a cultura negra ou variantes: se vc nao é negra, mana, não rola usar :)

  21. Franci Pacheco
    26 de fevereiro de 2016 - 22:59

    eu acho bem bonito

  22. […] Nicácio, esse da Maraisa Fidelis e esse da Andreza Goulart. Em janeiro desse ano, falamos sobre Como Usar: Turbante e vale a pena passar lá para conhecer mais sobre ele (que é muito mais  que um simples […]

8assista Just Lia TV no youtube9
Outros vídeos
8siga @kittykills no instagram9